Recife e a sua gastronomia festiva | Alucci Travel
31/03/2014 - por Redação voltar

Recife e a sua gastronomia festiva

Por Antônio Carrion

Recife e região já entraram para o mapa do melhor da gastronomia nacional há algum tempo. Estudos dizem que é o terceiro polo gastronômico brasileiro, atrás de São Paulo e do Rio. A cena culinária local conta com dezenas e mais dezenas de restaurantes, dos mais simples aos mais sofisticados. Esse cenário cheio de criatividade foi possível graças ao trabalho conjunto de uma dezena de chefs, que se uniram para celebrar as tradições e os costumes culinários do povo local, fato apresentado anualmente no Festival Gastronômico de Pernambuco, que acontece na capital, em Olinda, Porto de Galinhas e Fernando de Noronha. O chef Cesar Santos, do Oficina do Sabor, em Olinda, foi um dos primeiros a fazer comida regional de qualidade internacional. Já foi aclamado nas páginas do The New York Times por conta desse trabalho. Na sua casa, prove o baião de dois mergulhado no mar do Pernambuco. Vem com frutos do mar fresquíssimos, favas e ervas aromáticas. É um prato inesquecível. Há ainda jerimuns recheados de carne seca, camarão, galinha d’angola; polvo cozido no leite de coco; cabrito com purê de macaxeira, entre outros. Para a sobremesa, a pedida é a baba de moça, que é diferente da que se come no resto do Brasil (lá, trata-se de doce de lascas de coco verde em calda de açúcar). Joca Pontes, do Ponte Nova, na capital, é outro craque. Morou vários anos na França, sua formação vem de lá. No Brasil, usa ingredientes do sertão. Entre seus pratos, destaque para o rosbife de filé mignon fatiado, molho de mostarda dijon com pimenta verde e mel, carpaccio de tomates, cornichons e macaxeira chips (entrada); arroz de galinha d’angola ao pesto de tomates com maxixe e leite de coco, pedaços de frango caipira grelhados, palha de batata doce com beterraba frita (principal) e bolo de rolo com compota de goiaba e gengibre, queijo coalho queimado e castanha assada, sorvete de tapioca com flor de sal (sobremesa).

 


Tapioca na rua, uma tradição no recife


O Nez Bistrô, no elegante bairro de Casa Forte é um dos mais bonitos da cidade. A comida é bem feita e farta. No espaço funciona uma loja de vinhos que faz suspirar os amantes do mundo de Baco. A casa faz tanto sucesso, que abriu uma filial no bairro boêmio de Boa Viagem. Vale visitar ainda o Sushi Yoshi, restaurante do sushiman Yoshi Matsumoto. Pedi “atum em montanha” e o chef mandou para a mesa fatias tenras do peixe, formando montanhas no prato (daí o nome) envoltas em brumas feitas de bifun frito. Há ainda muito capricho e referência cultural local nos pratos de André Saburó, do Quina do Futuro. Nesse lugar é possível comer um pastel sequinho, delicioso. Saburó ainda tem uma padaria gourmet no bairro do seu restaurante principal. Lá, serve quitutes pernambucanos, como tapioca, pães feitos com ingredientes bio e doces feitos com chocolate Valrhona. A casa se chama Tokyo’s café e faz referência ao endereço gourmet dos seus pais, no centro velho da cidade, nos anos 1970. Bistrô da arquiteta Madalena Albuquerque, o Just Madá é o local em que costumam se reunir os comensais mais festeiros da cidade. Sua confort food faz sucesso numa galeria de Boa Viagem. Há ainda o Chiwake, do chef Biba Fernandes, peruano que segue à risca as traduções do país vizinho. O Cozinhando Escondidinho, do chef Rivandro França, fica na periferia e é para quem não abre mão de conhecer a cultura popular local. É um jovem chef que vem sendo reverenciado por guias nacionais, como o Quatro Rodas. O Wiella Bistrô, do chef Claudemir Barros, é tão elegante quanto algumas casas estreladas da Europa. Há ainda o Beijupirá e a Maison do Bonfim (ambos em Olinda); o Mingus, espaço que une gastronomia local e casa de jazz; o restaurante da Oficina Brennand, aliás, endereço obrigatório para apaixonados por arte e culinária; o tradicional restaurante Leite, aberto em 1882 e ainda em funcionamento no centro histórico da cidade, com sua cartola deliciosa, o doce local feito com banana grelhada, queijo tipo manteiga, com cobertura de canela e açúcar. A lista não acaba aqui. E é tão boa quanto os restaurantes citados acima.

 


Salão da Oficina Brennand, passeio obrigatório para quem gosta de arte

 


'Arrumadinho', prato típico, com carne de sol, farofa, feijão verde e vinagrete, no restaurante da Oficina Brennand.

 


Entrada da oficina de arte do Brennand

 


Centro antigo do Recife, local que abriga o histórico restaurante Leite, de 1882

 


Detalhe de produtos de cozinha, no Centro do Artesanato do Recife

 


Tapioca recheada de doce de leite, do restaurante da Oficina Brennand

 


Detalhe de entrada do chef Cesar Santos

 


Coco na praia de Boa Viagem

 


Vista do por do sol, de um dos canais no centro da cidade 

 


Ambiente do Wiella Bistrô - Foto: divulgação

 


Lagosta salteada, arroz negro com especiarias e mousseline de amêndoas - Foto: divulgação

 


Ambiente do novo Nez, em Boa Viagem - Foto: Divulgação

 


Chef Cesar Santos, um dos primeiros a divulgar a gastronomia local - Foto: divulgação


Serviço:


Oficina do Sabor (Olinda) – (81) 3429-3331
Ponte Nova – (81) 3327-7226
Quina do Futuro – (81) 3241-9589
Sushi Yoshi - (81) 3462-2748
Just Madá – (81) 3467-4618
Oficina Brennand - www.brennand.com.br
Maison do Bomfim (Olinda) – (81) 3429-1674
Leite - (81) 3224-7977‎
Wiella Bistrô - (81) 3463-3108
Nez – (81) 3441-7873

 

Tags

Brasil,

Adicione esse post aos seus favoritos
 INDIQUE ESTE POST PARA UM AMIGO
 Quero fazer essa viagem
FECHAR


Quer fazer esta viagem?

O Alucci Travel trabalha para que você consiga montar a sua viagem do seu jeito e ao seu verdadeiro estilo. Entre em contato conosco para junto com as melhores agências de viagem, montarmos a sua.

Nome

Email

Telefone

Observação

BUSCA
NEWSLETTER
Cadastre seu email e receba novidades.